sexta-feira, 10 de abril de 2015

Por que viajar não é só para jovens!

Sabe aquilo que eu disse no post sobre intercâmbio? "Nunca é tarde para começar a viajar!!" 

A entrevista que fizemos essa semana (sim, mais uma!!!) é um exemplo a todos que pensam que viajar é só para os jovens, que tem disposição e energia, que aguentam perrengues! Tudo isso é mentira e a Cida Amora pode dizer isso com propriedade! 

Criadora do blog “On vacation”, ela e seu marido contam sobre suas aventuras. “Somos um casal apaixonado por viagens, daquele tipo que já nasceu com “rodinhas”nos pés. Já visitamos mais de 30 países. Agora, que decidimos fazer um pit stop na carreira, resolvemos que era hora de compartilhar o que sempre ficou apenas nos nossos álbuns de fotografias”. E quem não quer ser assim para a vida toda né?


PUV SR: Você é uma das poucas blogueiras de viagem que é casada. Isso com certeza significa que você gosta de fazer as viagens ao lado de seu marido. Como vocês descobriram essa paixão em comum?
Cida: Quando começamos a namorar, há pouco mais de 8 anos, logo identificamos muitas afinidades, entre elas a paixão por viajar. E a partir daí emendamos uma viagem na outra. Sempre escolhemos os roteiros juntos, planejamos cada detalhe: enquanto um busca hospedagem e passagens, o outro começa a buscar informações sobre o local a ser visitado. É uma delícia planejar e viajar com ele. Eu, um pouco cautelosa e às vezes medrosa, ele destemido e transgressor. Isso dá a medida da coisa.


PUVSR: Eu acho que para você conhecer bem uma pessoa, basta viajar com ela e descobrirá! Você concorda?
Cida: Não tenho dúvidas a respeito disso. Já embarquei, literalmente, em algumas furadas ao viajar com pessoas que não conhecia bem. Só na hora de dividir a cama, a mesa e o banheiro é que você sabe mesmo quem é quem. Às vezes, uma pessoa super bacana no trabalho se mostra um pão-duro daquele tipo que esconde as coisas do café da manhã pra comer no almoço e por aí vai.  Meu conselho é: não viaje com alguém que você não conhece bem. E, se viajar, tenha sua independência durante a viagem. Isso evita muitos desgastes e pode salvar uma boa amizade.


PUVSR: Na sua lista de 35 países conquistados, qual foi o seu preferido (apenas 1)?
Cida: A Itália, sem dúvida. Viajar pela Itália é viajar pela nossa própria história. Isso sem falar das paisagens, da boa comida, dos bons vinhos, que eu adoro.

PUVSR: Para você, qual é a grande diferença de viajar enquanto você é mais novo (tipo até os 30 anos) e viajar depois dos 30 anos (ou 40 talvez)?
Cida: Quando a gente tem 30 anos ou menos precisa de muito pouco para viajar. Basta uma mochila nas costas, alguns trocados no bolso e um pouco de coragem, coisa que os jovens têm de sobra. Quando a gente fica mais velho, aí muda um pouco porque você tem que pensar em coisas como um plano de saúde com mais coberturas, um lugar mais seguro para se hospedar, um pouco mais de grana para os imprevistos. Claro que se você é aventureiro, vai se aventurar em qualquer idade, mas com o passar dos anos sua necessidade de segurança aumenta e isso tem um custo, principalmente financeiro. Eu até faço um voo de balão na Capadócia, mas quero me certificar de que a empresa é séria, de que o piloto do balão tem formação, que o tempo vai estar bom. É natural. Por isso eu digo sempre: quer fazer uma loucura de viagem? Faça logo, porque depois que você envelhece às vezes você amarela.

PUVSR: Eu sei que você e seu marido adoram estudar ne? Já estudaram 6 meses na Califórnia e agora estão planejando estudar na Espanha (o que particularmente eu acho uma lição de vida para muita gente).
Cida: A gente gosta mesmo de estudar e sabe por que? Porque só assim você evolui como pessoa, só assim você amplia seus horizontes, você cresce seu nível de informação, você vê o mundo com outro olhar. Aprender um novo idioma abre tantas portas… São mais chances de conhecer gente interessante, mais oportunidades de trabalho, mais filmes pra ver, mais livros pra ler. Não tem idade pra estudar. Claro que eu adoraria ter aprendido inglês aos 16 anos, num intercâmbio cultural. Mas, não tive oportunidade! Meus pais não podiam bancar isso. Só agora, aos 56, depois que mandei meus filhos pro intercâmbio e eles foram, aprenderam e já estão independentes é que chegou a minha vez. Então, vou aproveitar! Quero estudar sempre, aprender sempre, assim os mais jovens continuarão gostando de conversar comigo, de ouvir minhas histórias e eu não vou ficar chata.

PUVSR: Se tivesse que escolher um lugar para morar para sempre, qual seria?
Cida: Talvez São Francisco, na Califórnia, porque é um lugar de vanguarda, onde as pessoas são elas mesmas, onde ninguém tem que fingir nada pra ficar bem na foto. Se você quer sair com um sapato amarelo em um pé e um vermelho no outro, tudo bem, ninguém vai olhar atravessado achando que você pirou. O respeito à diversidade foi a coisa que mais me encantou por lá. Você tá no ônibus e senta um cara do seu lado com o figurino dos anos 70 parecendo que saiu do filme Cocoon naquele momento e, ok, está tudo bem, o cara está na dele, tá tudo certo. Acho isso fantástico.

PUVSR: Qual é a dica que você dá para casais que são apaixonados por viagem?

Cida: Que corram atrás dos seus sonhos. Não precisa se endividar para fazer uma viagem legal. Basta planejar, abrir mão dos supérfluos, eleger o que realmente é importante, guardar todo mês um pouquinho pra garantir o passeio. Se tiverem dinheiro de sobra, sugiro que vão para a Toscana, na Itália. Se estiverem duros, que vão para Jeri, no Ceará, ou para Pirenópolis, em Goiás. 

Com a licença de Fernando Pessoa, “Tudo vale a pena quando a alma não é pequena”.

Quer conhecer mais as aventuras do casal?

Instagram: onvacation_seupontodepassagem
Facebook/Onvacation _ seu ponto de passagem




Nenhum comentário:

Postar um comentário