quarta-feira, 29 de abril de 2015

Entrevista da semana: Do outro lado do mundo

Manoela Isidro, teve a oportunidade de morar do outro lado do mundo: Coréia do Sul. Lá fez um mestrado em 2010 e teve a chance de viajar e conhecer lugares inesquecíveis. Para registrar e dividir as melhores partes da viagem, ela resolveu criar o blog “Do outro lado do mundo”  que acabou virando um hobby quase diário!!



“Ele é minha principal ferramenta pra retratar minhas emoções, frustrações e principalmente percepções ao chegar em cada lugar especial que escolhi conhecer” conta ela em sua página. E nós conversamos um pouco com ela para descobrir o que ela aprendeu do outro lado do mundo!!

PUVSR: Primeiro de tudo, porque Coréia do Sul?? A maioria das pessoas que viajam e moram fora escolhem países mais tradicionais... e você não!! Inovou muito na escolha do lugar!
Manoela: Quando a empresa onde trabalho me ofereceu a chance de fazer o mestrado ela me deu 2 opções: Coréia do Sul e Holanda. Cheguei a balançar um pouco quando ouvi Europa mas no fundo eu já sabia mesmo que minha grande conquista além do mestrado seria estar em uma cultura nova e aprender muitas coisas com pessoas de toda parte do mundo. Não pensei muito, respondi de imediato que preferia Coréia e cheguei no país de coração aberto para tudo de novo que estava por vir.

PUVSR: Qual é a melhor parte de morar fora? E a pior?
Manoela: A melhor parte de morar fora é você se descobrir de verdade. Sozinho não tem pai, mãe nem amigos para segurar sua barra. Era uma luta diária estar com a solidão mas ao mesmo tempo foi o que me amadureceu e me tornou quem sou hoje. Se a experiência tivesse sido em algum outro país, com mais estrangeiros e até brasileiros, não sei se eu teria aprendido tanto. Estar sozinha fora do país me fez ver que sou capaz de muito além do que pensava.
De cara eu diria que a pior parte é a distância mas como eu fui com data para voltar eu consegui lidar bem com esse fator. Então no meu caso a pior parte foi ficar em casa sozinha algumas vezes. Eu sou muito elétrica, comunicativa, faço amizades fácil. Esta num lugar que a comunicação é engessada é realmente muito complicado.

PUVSR: Como se sentiu quando chegou no país? E como fez com a língua? Falava inglês ou coreano?
Manoela: Quando voltei eu tive a certeza que nasci no lugar certo. Nós brasileiros somos uma raça forte rs. Nós adaptamos e mudamos muito rápido conforme manda a música. Deve ser por causa do nosso gingado natural :) Eu tive a certeza que só consegui lidar bem com tudo que passei porque tive uma criação aberta e desprovida de preconceitos recebida dos meus pais.
Infelizmente eu não aprendi coreano, até cheguei lá com gás para isso mas resolvi deixar de lado para focar nos estudos. A comunicação era em inglês com os colegas de classe e na rua era do jeito que dava: mimica, imitação e por aí vai... :-P



PUVSR: E as saudades do Brasil, como ficava?
Manoela: Eu falava com meus pais todo dia. Viva o santo skype era como se nós nem tivéssemos tão longe. Isso ajudou muito porque sou filha única e meus pais sentiram muito quando saí de casa. Também trocava emails diários com as amigas, isso com certeza me sustentou nesse um ano.


PUVSR: E qual foi seu maior perrengue durante uma viagem?
Manoela: Meu maior perregue foi a alimentação. Eu cheguei na Coreia experimentando de tudo, sou super aberta para isso. Mas depois de 3 meses eu tive uma enorme canseira da comida. Os coreanos comem muito saudável: vegetal, peixe e etc. Mas eu não aguentava mais o peixe cru. Foi difícil!

PUVSR: O que você faria com uma passagem de volta ao mundo nas mãos para 90 dias (que lugares escolheria)?
Manoela: Começaria a jornada na Russia, de lá pegaria o trem transiberiano até a China e ficaria do outro lado do mundo pelo menos uns 50 dias. Queria conhecer mais do interior da China, fazer um retiro no Tibet, depois seguir para Mianmar, voltar no Laos (amei muito), cobriria todo o Vietnã, Depois iria para as praias paradisiacas das Filipinas, Indonesia e fecharia a viagem no Japao. QUE SONHO!!!!

PUVSR: Quais são os 3 lugares que mais você quer conhecer antes de morrer?
Manoela: Turquia, Indonésia e Colombia.

PUVSR: Qual a dica que você daria para quem está indo morar um tempo fora do Brasil ou tem vontade de um dia fazer isso? 

Manoela: Morar fora é uma experiência que não só muda sua vida mas também muda você. Vale cada centavo empregado, cada tico de saudade e é uma oportunidade de ver o mundo fora do que achamos que conhecemos. Tenho o lema de fazer sempre limonada do meus limões. Como tudo nessa vida também tem seus pontos difíceis mas pessoalmente no ano que estive fora preferi focar em tudo de bom que tive a oportunidade de ver e fazer. Quem fica aqui continua sua vida, quem vai muda tão profundamente que as vezes mal reconhece o ambiente que vivia antes. Voltar para casa também choca. As vezes dói, deprime, mas sabendo enxergar o melhor da situação (suas conquistas, suas viagens, os amigos que fez e tudo mais) você com certeza terá uma experiência para contar para netos e bisnetos, será simplesmente inesquecível!!



Quer conhecer mais sobre a Manoela?

Instagram: @manoelaisidro

3 comentários:

  1. Parabéns pela sua entrevista Manoela Isidro!!
    Amo ler seu blog e adoro suas viagens. Todas são Maravilhosas!
    Continue assim!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Um relato lindo e que mostra bem como se amadurece vivendo esse tipo de experiência! Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Viajar é vivenciar a cultura local. Parabéns!

    ResponderExcluir