quarta-feira, 1 de abril de 2015

Choque de cultura: Como aceitar uma nova vida

Essa semana minhas aulas estão sendo sobre "Travel and Culture" (coincidência ou não... estou adorando!!!)


Hoje a aula foi sobre "Culture Shock" e não e apenas sobre choque de cultura, quando você vai para um lugar muito diferente do que você esta acostumada ou quando você simplesmente não gosta das pessoas! E muito mais do que isso: são fases que as pessoas passam (claro que depende de cada uma e  varia muito) para se adaptar a um novo lugar ou a uma nova situação (nem sempre e so em viagem... pode ser a um emprego novo... uma mudança de casa).

Sintomas do choque de cultura:
  1. Você se sente irritado, incomodado, confuso, frustrado e sem senso de humor
  2. Você fica muito tempo sozinho, isolado e odeia contato com as pessoas do local
  3. As vezes você tem sentimentos negativos sobre o lugar, pais, cidade, etc
  4. Você come e/ou bebe compulsivamente (isso é clássico entre os mais jovens)
  5. Você se sente com preguiça, com tédio e sem concentração para nada

As 4 fases dessa adaptação são:

1. Período Honeymoon (lua-de-mel)
Tudo é lindo... maravilhoso (como na lua de mel mesmo rs). A experiência é positiva, nova e cheia de entusiasmo. Sua cabeça está aberta para o novo. Mas, quando a vida começa a virar uma rotina (mais ou menos depois das primeiras semanas, ou primeio mês), as pessoas começam a se incomodar e a procurar defeitos (ou realmente ver a realidade como ela é).


2. Período de rejeição
Aos poucos, sem muito sentido, sua mente vai se "deteriorando" e aí vem o CHOQUE! As coisas começam a parecerem mais difíceis e complicadas. Você se sente desorientado, passa a dormir mais, comer mais, beber mais, etc. Tudo fica mais intenso. E começa até se questionar o porque vive naquele lugar (ou trabalha, ou mudou do estado inicial, etc).


3. Período de regressão e isolamento
Depois do choque, continuam as reflexões e as reclamações. Você tende a ficar mais isolado, não querer contato com a cultura local. Mas depois de algumas semanas, você entra em contato com esses sentimentos e percebe que tem que se adaptar a nova vida (ou a nova situação).
Obs: as vezes tem pessoas que não conseguem chegar a essa auto reflexão por muitos meses.



4. Período da adaptação
É nessa fase que você reconhece suas limitações e tenta entrar em paz com você mesmo. Em uma situação de um intercâmbio, países diferentes, troca de emprego ou uma nova casa, você tem que tomar uma decisão: continuar se lamentando pelos cantos ou aceitar a realidade como ela é (independente das coisas que você não gosta e não concorda). E é aí que a maioria das pessoas se adaptam ao novo e se tornam mais flexíveis!


Lembrando da época que eu fiz intercâmbio na Espanha (apesar de nunca ter sentido essas coisas que eu listei acima ao extremo, sempre tinha aqueles momentos mais introspectivos e alguns momentos de tédio), pensei em algumas atitudes que tomei desde o começo para não ser fortemente afetada por esses sentimentos (que e normal quando você viaja sozinha pela primeira vez, ou quando você e muito nova ou quando você esta em alguma situação mais vulnerável):

  • Admita que isso pode acontecer com você também!! Eu tinha total consciência que eu podia ficar triste, sentir saudades e que minha vida (durante aqueles 6 meses) seria totalmente diferente do que eu estava acostumada (e um pouco fora da realidade). E principalmente que isso NÃO e um problema e não precisa se desesperar.

  • Tente se envolver com o lugar, entender os costumes, ter contato com os locais, fazer amigos (mesmo que sejam brasileiros rs), sair, conhecer e NUNCA compare com o pais que você vive (ou com o trabalho anterior)... porque realmente, NUNCA vai ser igual! Como diria uma amiga minha: "Open your mind!"
  • Dedique um tempo para aprender novas coisas: seja uma língua, um curso de fotografia, um curso de culinária, degustação de vinhos. Pense no que você mais gosta e dedique um tempo a isso. Aqui em Toronto, por exemplo, dedico um pouco do meu tempo para descobrir coisas que eu não vi da primeira vez que eu vim!
  • Vá na academia, se gostar. Ou simplesmente ande pela cidade. Tente se exercitar!!!! No frio e difícil, mas isso vai controlar a ansiedade e regular os hormônios.
  • VIAJE!!!!! (essa é a melhor parte e o melhor conselho que eu posso dar) Principalmente se voce esta em um lugar que tem muito o que fazer (Aqui em Toronto não e o caso... mas na Espanha, eu e a Agnes não ficávamos um final de semana em Pamplona!)
  • Faça novos amigos. Nem todos ficaram para a vida toda... mas vai ser divertido o tempo que passar com eles (no meu caso e da Agnes... acho que só nos 2 continuamos nos falando. Fora as pessoas que restaram em nossos Facebook)
  • Nos primeiros meses eu recomendo "cortar o cordão umbilical" com a sua família e seus amigos... e tentar ficar longe da internet (eu sei que isso e difícil). Mas isso ajuda a você curtir mais o momento... e pensar menos no que voce poderia estar fazendo com eles. 

Quando eu fui para a Espanha não existia Whats App e não tínhamos Smartphones... e só tínhamos Orkut. Então foi bem fácil fazer isso (nem computador eu levei). Hoje eu dia, não sei se eu conseguiria com smartphone e facebook/instragram. Mas, se você sabe que é difícil de se "desapegar", faça um esforço e fique longe disso por um tempo. Depois, sinta-se livre para retomar o contato com eles... e com a vida virtual. Sera bem mais fácil de você separar a "sua nova vida" com "a vida deles".
  • Tente não pensar quanto tempo falta para acabar... porque quando realmente acabar, o problema vai ser voltar!!!!

Lembre-se. Existe também o choque reverso. A hora de voltar para a realidade (no caso de viagens mais longas), chegar na sua casa, no seu pais... e perceber que todos os sentimentos que te dominavam, nao passavam de coisas da sua cabeça!!!

Marcella Romani

Nenhum comentário:

Postar um comentário